A TARDINHA CAI

Essa eu vou contar. Tínhamos, eu e o Nilton Nunes, acabado de conhecer a força do grafismo de Neville Brody e estudávamos uma marca para a Sessão da Tarde toda tipográfica, meio vintage, anos à frente do seu tempo para os idos de 90.

Apressado para uma reunião com o Boni, o Hans recolheu material de todas as mesas, incluindo nosso incipiente estudo, mal começado. Ao voltar, distribuindo os materiais pelas equipes chegou em nós, deixando nossa prancha sobre a mesa com um definitivo “isto aqui, nem pensar.” – Mas nem terminamos – tentei argumentar. Manda quem pode.
– Sacanearam a gente; vamos ter troco?

Escolhemos a letra mais sonífera que encontramos. Com um bold enorme. Dourada. Com a maior extrusão de todos os tempos. Tão grande que daria a volta na Terra. Com um arco-íris no volume, para ficar bem borderline. E um fundo roxo.

Pois não é que a coisa ficou no ar por 25 anos? Serviu de referência para inúmeros programas da tarde de outras emissoras? Fez escola?

O design definitivamente não é o que parece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s